Arquivo para março 2009

Ser mãe, ser especial

30 de março de 2009

Estava aqui pensando em como ser mãe é mesmo um negócio maluco. Porque desde o momento em que me tornei mãe, minha vida virou de cabeça para baixo, para nunca mais voltar a ser o que era antes. Tudo se redefiniu, Minhas prioridades mudaram. Passei a pensar naquilo que nunca tinha sido importante. Meus horários, minha aparência, minha energia, minha rotina… Tudo isso muda.

As coisas mais cotidianas e banais ganham uma graça toda especial. Fazer comida, tomar banho, escovar os dentes, trabalhar, falar ao telefone, ler um livro. Todas essas tarefas, a princípio básicas e cotidianas, ganham contornos de esporte radical quando se tem filhos em casa. E eu que me achava tão previsível, passei a encontrar as formas mais inusitadas para concluir as tarefas diárias. Isso, além dos micos e palhaçadas que acabo me submetendo – queira eu goste ou não.

Ser mãe não é pra qualquer um não. Antes de um filho nascer, temos tudo organizadinho na cabeça. Todos os pingos nos is. Tudo certinho, bonitinho. Pois bem. Aí chega aquela coisinha, que não vem com manual nem obedece a regras de comportamento ou etiqueta, e reverte tudo aquilo que, para você, era tão sólido e absoluto. Filhos chegam sem pedir licença, sendo exatamente aquilo que são, e não o que esperávamos que eles fossem. E chegam invadindo e tomando conta de tudo, ocupam cada cantinho do seu coração, do seu dia e dos seus pensamentos, fazendo você parar o tempo todo para repensar, reavaliar, questionar.
Não é fácil, não. Sem dúvida, as coisas são muito mais simples quando a gente tem uma cartilhinha bem moldadinha, tudo pré-definido e bem controlado pra gente seguir. Bom, podem até ser mais simples, mas não têm nem metade do encanto.
Porque o grande barato de ser mãe é isso: se abrir, comprar a briga, encarar o desconhecido e entrar em campo disposto a jogar. E a parar pra pensar onde é que pode mudar de estratégia. E a levantar e começar tudo de novo, cheia de disposição. E, a saber, que sempre tem onde melhorar. Eu, que já tinha poucas certezas na vida, hoje tenho uma só. Seja o que for que eu faça daqui por diante, vai ser sempre com um único objetivo: fazer dessa pequena patotinha que me rodeia e que eu amo tanto uma família feliz. Não uma família ajustada, equilibrada ou correta pra quem olha de fora. Apenas feliz. Pra quem olha de dentro. No fim das contas, é só isso mesmo que importa.

 

Anúncios

FELIZ ANIVERSÁRIO, BLOG!

6 de março de 2009

Tudo começou há 01 ano. Na faculdade. TROCANDO IDÉIAS e outros afins com a turma.

 

Meu BLOG.

 

Até tinha outro. Básico. Eu vivia escrevendo sobre buscas e vazios não preenchidos, e até chegava a pensar: Isso ficou realmente muito bonito… Bahhhhhh.

 

Pode até ter ficado, mas faltou algo. Talvez, mais sentimentos. Mais realidade.  Mais idéias. 

 

Então se perdeu.

 

Vira e mexe encontro ele lá. Perdido. Escondido. Camuflado. Ainda passo por lá porque fiz muitos amigos. E fiz lá. E lá, continuam.

 

Vivia escrevendo poemas. Meus e dos outros. Escrevendo as músicas. Letras que eu achava bacana. Românticas e realistas. Enjoei.

 

Aqui eu escrevo sobre tudo. Tudo o que sinto. Tudo o que senti, e que talvez, ainda sentirei.

 

Escrevo sobre amores mal resolvidos, sentimentos achados e perdidos. Momentos completos e incompletos. Tristezas e alegrias que teimam em surgir. E escrevendo, deixo aqui fora um aperto no coração. Porque tudo o que escrevo, é algo que vivi.

 

Então, vou preenchendo um vazio ou outro, meu e das pessoas que passam por aqui e se identificam. O blog transforma o amor incerto em certo, concretizando aquilo que até eu mesma duvidava que existisse.

 

As vezes sinto saudades de enxergar-me dentro desse meu espaço. Sinto saudades de me enxergar em meus próprios escritos. Não é sempre que dá.

 

É aqui que deixo minhas alegrias, explicações, receios, confusões, apelos. Sem rimas e sem versos. Apenas palavras que quero viver… Viver para sempre.

 

Parabéns meu BLOG!!!!