Arquivo para março 2015

Te procurando em mim

27 de março de 2015


imagem

Está fora do contexto

Desconcentrei-me com a dor que aperta meu peito

Desconcentrei-me com a escuridão da noite

Me aconchego entre rasgos de lembranças

Simplesmente te procurando em mim

Tentei ultrapassar meus limites, meu espaço…

Tento manter a lucides na coerência das ideias

Sinto-me partindo em pequenas partes

Fragmentada

Dividida entre o sonho e a realidade

A lembrança que me envolve

Transborda a esperança e a paixão

Clareio meu pensamento

É hora de descansar, então

Reviro para o lado

Estou quase do avesso

Tento ultrapassar meus limites

Mas nada clareia meu pensamento

Te procuro novamente dentro de mim

Afagando as recordações em minha mente

O amor me pegou de tal forma

Que não soube chegar e por um fim.

Quem ama uma vez, nunca esquece

Porque fica a marca no coração

Estou certa de que amor não sentirei mais

Porque ele está prezo dentro da minha solidão

O amor adoeceu

Minha mente o apagou aos poucos

O que restou dessas partículas doloridas

Foi a paixão em letras coloridas

Meu amor está morrendo

Instaurando-se a falência

Busco conselhos, sugestões, alternativas

E a única resposta que encontro

Que o amor é amor e pronto!

 

 

Anúncios

Perdida por um Momento

19 de março de 2015

imagem

Esqueci-me em algum lugar…

Estou aguardando meu “eu” voltar.

Difícil é lembrar em que momento desapareci…  Porque por minutos de mim, esqueci

Lembrei de respirar… Proferi um pequeno suspiro…

Fiquei quieta por um tempo… Pensando em como isso mexeu comigo…

Não quero mais ouvir o tic-tac dos ponteiros… Quero apenas ouvir o compulsar do meu coração…

Ele está em sintonia com suas palavras, que me diz que está na hora de parar, respirar e encontrar dentro de mim os sonhos que nunca perdi.

Eu sou o sentimento…

Respire junto comigo… Estou libertando as borboletas que um dia em meu sentimento as prendi…

Lembranças

18 de março de 2015

Silêncios e palavras,
Pequenos momentos
Foi me mantendo perto de você…

E de tudo o que já foi escrito
De tudo que já foi dito

Ficou a desilusão…
Senti que parte do meu coração
Ia embora com você.

Insana

18 de março de 2015

Aperta-me em teus braços

Liberta-me da timidez

Abraça-me

Beija-me

Ama-me com o calor do teu corpo

Invada minha alma

Complemente-me por inteiro

Suga-me

Alisa-me

Me toque com seus dedos

Faça-me intima das loucuras de seus pensamentos.

Possua-me

Incendeia-me

Satisfaça os meus desejos

Arranca-me suspiros

Gemidos

Gritos

Leva-me

Transfira-me

Para um lugar onde só você possa me completar.

Senhor Cravo e Dona Rosa

18 de março de 2015

Era uma vez, duas estrelas que estavam a milhas e milhas distante. Estrelas de galáxias diferentes.

Ele se chamava Cravo.  Ela Rosa. Cada um no seu espaço, cada um no seu mundo azul. Cor essa criada por eles. Cor da liberdade, da afeição, carinho e respeito.

Certo dia, com a tecnologia aguçada, se conheceram, trocaram mensagens, prosas, poemas, versos, sorrisos, lágrimas, emoções que somente eles entendiam, porque a sintonia era única, exclusiva.

E assim se tornaram amigos confidentes. E ainda que não se conheçam pessoalmente, o sentimento é único “AMOR” puro e sincero. Sem preconceitos, sem cobranças, sem medo de dizer a verdade um para o outro (por mais que doa).

Oh Cravo, meu amigo, parceiro,

Que escuta os meus anseios,

As minhas queixas e desilusões.

Cravo, que tanto amo,

Que me inspira

A expor minhas emoções.

Eu Rosa, agradeço todos os dias,

Por ter lhe encontrado,

Do outro lado do mundo

Com um sorriso absurdo

E uma história incrível.

Cravo que tanto amo,

Obrigada por existir,

E agora fazer parte de mim.

Da minha vida,

Do meu pensamento

Em cada gesto, em cada momento.

Meu muito… obrigada!