Ne Me Quite Pas

Publicado 26 de fevereiro de 2010 por Vê Barros
Categorias: Íntimo, SONETOS E POEMAS

 

Ne me quitte pas
Il faut oublier
Tout peut s’oublier
Qui s’enfuit déjà
Oublier le temps
Des malentendus
Et le temps perdu
A savoir comment
Oublier ces heures
Qui tuaient parfois
A coups de pourquoi
Le coeur du bonheur
Ne me quitte pas

Moi je t’offrirai
Des perles de pluie
Venues de pays
Où il ne pleut pas
Je creuserai la terre
Jusqu’aprè ma mort
Pour couvrir ton corps
D’or et de lumière
Je ferai un domaine
Où l’amour sera roi
Où l’amour sera loi
Où tu seras reine
Ne me quitte pas

Ne me quitte pas
Je t’inventerai
Des mots insensés
Que tu comprendras
Je te parlerai
De ces amants-là
Qui ont vue deux fois
Leurs coeurs s’embraser
Je te racontrai
L’histoire de ce roi
Mort de n’avoir pas
Pu te rencontrer
Ne me quitte pas

On a vu souvent
Rejaillir le feu
De l’ancien volcan
Qu’on croyait trop vieux
Il est paraît-il
Des terres brûlées
Donnant plus de blé
Qu’un meilleur avril
Et quand vient le soir
Pour qu’un ciel flamboie
Le rouge et le noir
Ne s’épousent-ils pas
Ne me quitte pas

Ne me quitte pas
Je ne vais plus pleurer
Je ne vais plus parler
Je me cacherai là
A te regarder
Danser et sourire
Et à t’écouter
Chanter et puis rire
Laisse-moi devenir
L’ombre de ton ombre
L’ombre de ta main
L’ombre de ton chien
Ne me quitte pas

Bossa nova - música de Maysa
Anúncios

Personalidade: Doçura X Força

Publicado 24 de fevereiro de 2010 por Vê Barros
Categorias: Íntimo, SOBRE OS SENTIMENTOS, TROCA DE IDÉIAS

Imagem: Nanda Teixeira
 

Essa semana andei pensando que  devia mudar tudo. Tudo que me complica. Não deixar de ser tudo o que sou, mas poder ser um pouco mais do que eu sou. 

Eu tenho uma personalidade forte e um jeito que é meu mesmo. Bem próprio, e que contrasta com o que se espera de uma pessoa forte. Sou doce, sou tranquila as vezes até serena demais. Sou mais brisa que vento. Tenho um jeito próprio de levar as coisas, e a vida. Na maioria das vezes compreendendo a marcha e toco em frente.
Vai daí que a tão decantada insegurança, sempre me fez sentir que me faltava alguma coisa. Que a minha doçura, essa tranquilidade de Imensidão Azul (filme do Luc Besson que lembrei agora), como me disse uma vez um grande amigo, significava uma incapacidade, talvez uma fraqueza.
Pensei assim por muito e muito tempo, muito mais do que eu gostaria. E de repente ela veio. Assim, sem aviso. A descoberta.
De que a força é matéria moldável, e também pode ser companheira da tranqüilidade. Que pode, andar de mãos dadas com a doçura.
E foi assim, meio sem querer, tropeçando nas respostas, que me dei conta de que a força que sempre quis ter já faz parte de mim. É o que eu sou, e eu não sabia.
É fantástica mesmo essa roda incessante da vida. Essa dinâmica incrível que nos impulsiona para a frente, que faz a gente crescer, tentar melhorar, sair sempre do lugar onde já havia se acomodado e dar um passo adiante. Mais uma vez, eu vejo e percebo que a solução está sempre dentro, não fora. Sempre. Sempre que a gente se vê buscando respostas, não tem nada melhor que voltar-se para si. E ela vem. Basta esperar, que a resposta vem.
Esperar, e acreditar. As vezes é difícil mas é preciso esperar.
Sim, isso mesmo. Esperar e acreditar.

 

 

*… No mais agudo e doído do seu sentimento ela pensava: Sou feliz. Na verdade, ela o era nesse instante…”
 
*Os Bonecos de Barro 
 Clarice Lispector   

Soy Mentiroso

Publicado 10 de dezembro de 2009 por Vê Barros
Categorias: TROCA DE IDÉIAS

 

Cheguei  a uma simples – porém – revelador – conclusión: ” Existem dois tipos de idiota: o idiota propriamente dito e o idiota-mór que pensa que você é a idiota.”

O idiota propriamente dito é aquele cara que te engana descaradamente. Não te faz promessas. Deixa bem claro que prefere sair para beber com os amigos a ir com você ao cinema, teatro ou qualquer outro programa. Mas, de uma coisa, você nunca poderá reclamar, ele nunca te enganará. Ele não é nada cavalheiro. Talvez nunca vai te mandar flores. O maior elogio que você vai ouvir dele soa como “está caliente como el infierno”.

Perigoso mesmo é aquele segundo tipo. O que pensa que a idiota é você. O idiota-mór. Esse te faz morrer de ódio. Com esse, todo cuidado é pouco. Ele quer, a todo momento, te impressionar. É do tipo que abre a porta do carro pra você e a leva para lugares bacanas. Ele te elogia da cabeça aos pés. Sabe como agradar uma mulher. Ele vai te ligar “só pra ouvir a sua voz”. Vai fingir que tem ciúmes de você na segunda vez que vocês estiverem saindo. Tudo estratégico. Ele vai dizer que você é a pessoa mais especial que ele já conheceu nos últimos tempos. A mais linda. Ele está apaixonado. Te liga todo dia pra saber como você está. 

Esse tipinho tem a melhor lábia do mundo. Se diz seletivo com as mulheres (mas diz isso pra todas). Diz que você é única (também diz isso pra todas). Ele poderia, realmente, ser tudo de bom (se não fosse sínico e mentiroso). Tem lá suas qualidades. Geralmente é gato, mora bem, tem carro do ano, inteligente, culto e bem relacionado. O único problema dele é achar que é mais esperto que você. Achar que você é uma idiota que acredita em tudo que ele fala. Você dá corda e ele mesmo acaba se enforcando.

Mentira tem perna curta, já dizia minha mãe.

Bitter Confidence

Publicado 9 de dezembro de 2009 por Vê Barros
Categorias: TROCA DE IDÉIAS

 

A vida tem prazer e tem dor. Tem alegria e tem tristezas…

Muitos erros, muitas coisas em vão. Receio, sofrimento, quem sabe até um pouco de paixão.

Compartilhei todas as coisas boas que tive, coisas por quais passei,vivi e pensei. 

Dei o sentimento mais singelo, a minha confiança lhe entreguei.

Assim me sinto… totalmente usada, desvalorizada. Agora, me pergunto ” onde foi que errei?”

In a lot of confidence have given him.

Just tell me, how do I fill the pain?

Descobri que dói mais continuar a acreditar. Mas acreditar em quê? 

Que dias melhores virão, que ainda há esperança, que eu estava enganada.  

Chorei, me entreguei. 

And the rest? And it has no explanation? 

Por mais que que a vida mostre que não nos foi reservado um ou outro aspecto  que os demais seres humanos têm acesso, continuamos a crer que o jogo ainda vai virar.  And God it hurts to believe! 

 

 

Palavras Soltas

Publicado 2 de dezembro de 2009 por Vê Barros
Categorias: TROCA DE IDÉIAS

By Vê Barros

Ainda que mais uma vez eu esteja aqui, sentada no sofá da sala,

tentando achar palavras para expor o que sinto neste momento,

percebo que o mundo lá fora, esboça cores sombrias. 

Na rua os carros, cachorros, famílias, estão envoltos pelo manto cinza das nuvens.

Parecem ser as mesmas conversas que se abrem dentro dos apartamentos. E o vento força as cortinas dos quartos.

Folhas atiradas no chão, revistas.

Nem todos os dias faz sol ou é de alegria, não é mesmo???

Hoje meu dia não está bem claro, embora pela manhã, o céu brilhasse.

Estou aqui. Escrevendo e apagando incontáveis vezes. Hoje não é meu dia. Estou sem inspiração.

De Prazeres e Princípios

Publicado 30 de novembro de 2009 por Vê Barros
Categorias: TROCA DE IDÉIAS

 

Quando a gente pára para pensar, mais e mais vai se dando conta disso.

O fundamental, o que faz mesmo a diferença é estar em paz, tranqüila e feliz. Ter vontade de sorrir, cantar e dançar, erguer a cabeça e olhar para frente, sempre.

Deixar entrar o sol da manhã, a luz do luar ou o que mais vier.

Abrir-se para a vida é o que vale a pena, no fim das contas, seja como for.
Amar, sorrir, respirar. Tocar e ser tocada. É o que vale a pena. O resto é resto, e a gente sempre acaba dando um jeito.

De um jeito ou de outro, sempre dá. 🙂

Depois de long time…Eu volto!!

Publicado 17 de julho de 2009 por Vê Barros
Categorias: TROCA DE IDÉIAS

 
ausencia_imagem 
“Por muito tempo achei
que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
aconchegada nos meus braços,
que rio e danço
e invento exclamações alegres,
porque a ausência,
essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim”.

(Carlos Drummond de Andrade)
 
“ESTOU DE VOLTA”